A odontologia e o TEA

A odontologia e o TEA
O Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) é uma síndrome comportamental que se caracteriza por um conjunto de sintomas que comprometem principalmente a interação social, a comunicação e o comportamento. Além dessas dificuldades existem as dificuldades sensoriais, que podem comprometer ainda mais o atendimento odontológico.
No consultório odontológico é um grande desafio do profissional entender sobre o autismo. Sendo o trabalho ideal um trabalho comportamental de condicionamento para que o paciente aceite a intervenção odontológica, minimizando a necessidade de contenção física ou anestesia geral.

O profissional deve atender de forma individualizada cada criança, ter paciência e fazer do atendimento uma brincadeira, para a criança gostar e querer voltar. O atendimento individualizado é de grande importância, principalmente, para crianças especiais, que precisam ser compreendidas e atendidas da melhor forma dentro das suas dificuldades.

Além de fazer um trabalho com a criança, o profissional deve orientar os pais sobre como escovar os dentes e como fazer da escovação parte da rotina da criança de forma lúdica. Também deverá ser explicado que as histórias sociais (livros adaptados sobre o tema) ajudam a criança a prever e compreender o que acontecerá com ela.

Um ponto importante, é que nos primeiros momentos da criança no consultório odontológico, a criança deverá ficar bem à vontade, reconhecendo o ambiente, brincando com os brinquedos expostos e pegando os livros. A Cada sessão o profissional vai exigindo gradualmente algo daquela criança. E assim vai sendo criada uma relação de confiança.

Cada tentativa que a criança faz ela é parabenizada, manter a criança motivada é essencial para o atendimento. Nem sempre o procedimento esperado vem de imediato, mas sempre que alguma coisa é alcançada, por exemplo, se a criança colocar a escova na boca, já se usa o reforço positivo: muito bem!!! viva!!! Comemora-se sempre com reações bem animadoras para ela.

O tratamento odontológico deve ser satisfatório e sem traumas. Sempre é bom os pais procurarem profissionais que entendam sobre o autismo.

Precisamos lembrar que o foco é sempre a prevenção, não devemos esperar a doença se instalar para procurar um bom profissional, as visitas ao consultório odontológico devem fazer parte das atividades das crianças com TEA.

Loala Lindoso Passos (Clínica Odontológica Sorriso Especial)
Cirurgiã Dentista formada na UFPE (Universidade Federal de Pernambuco) em 2005, especialista em ortopedia funcional e ortodontia pelo NEAO (Núcleo de Estudo e Aperfeiçoamento Odontológico) em 2012. Curso de odontopediatria em andamento. Capacitada no atendimento a crianças especiais pela Clínica Somar Recife, referência em atendimento à crianças com “Transtorno do Espectro do Autismo-TEA” no Nordeste.

Artigos relacionados

Autor

Equipe Somar

Sem comentários.

Junte-se à conversa

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.