O que é neurofeedback?

O que é neurofeedback?

 

A Clínica Somar Autismo, junto com sua equipe multidisciplinar está sempre em busca de novas ferramentas terapêuticas e das melhores intervenções para o Autismo. E vem agora implementar uma nova e promissora técnica, o Neurofeedback , em sua clínica com intuito de aumentar a proposta de tratamento para suas crianças.
  1. O que é Neurofeedback?
  2. Como funciona e como acontece o treino com Neurofeedback?
  3. O que é Neurofeedback?


O QUE É NEUROFEEDBACK?

Você sabia que podemos controlar voluntariamente as nossas ondas cerebrais? O Neurofeedback é uma técnica de neuromodulação, não farmacológica, não invasiva e não dolorosa através da qual o indivíduo toma consciência e adquire domínio do funcionamento da própria fisiologia cerebral através da tecnologia.

Isso é possível através do uso de sensores sobre o couro cabeludo, para captar mensagens elétricas do cérebro, que são enviadas como dados digitais para um software, que decodifica estes sinais corporais através de interfaces gráficas (jogos, vídeos, músicas) que informam o paciente, em tempo real, sobre o funcionamento do seu próprio cérebro.

O objetivo do Neurofeedback é ensinar as pessoas (saudáveis ou pacientes) através de treinos repetidos, a aumentarem voluntariamente o desempenho do cérebro durante atividades de vida diária. Essa técnica é utilizada por atletas de elite, executivos, estudantes e por pacientes das mais diversas patologias (TDAH, ansiedade, depressão, transtorno obsessivo compulsivo, cefaleia e enxaqueca, insônia e inclusive Transtorno do Espectro do Autismo (TEA)).

COMO FUNCIONA E COMO ACONTECE O TREINO COM NEUROFEEDBACK?
A Clínica Somar Autismo, junto com sua equipe multidisciplinar está sempre em busca de novas ferramentas terapêuticas e das melhores intervenções para o Autismo. E vem agora implementar uma nova e promissora técnica, o Neurofeedback, em sua clínica com intuito de aumentar a proposta de tratamento para suas crianças. E, hoje, vamos explicar como funciona e como acontece o treino com Neurofeedback.

É realizada uma avaliação inicial do paciente com a tecnologia do Neurofeedback, medindo a atividade elétrica do seu cérebro através de um eletroencefalograma, enquanto se realiza tarefas, que ativam áreas diferentes do seu cérebro.

Essa análise inicial envolve o mapeamento da atividade cerebral e avaliação psicológica do paciente, através dela é possível detectar quais áreas cerebrais estão com seu desempenho comprometido e que precisam ser trabalhadas. É a partir daí que é estabelecido o que precisa ser treinado, em quais regiões do cérebro, bem como, o número de sessões.

Durante o treinamento o paciente sabe, em tempo real, como está o funcionamento de seu cérebro, assim identificando e alterando voluntariamente a frequência das ondas cerebrais nas áreas que necessitam serem trabalhadas, de acordo com a proposta do treinamento.

Resumindo: Ao longo das sessões de Neurofeedback o paciente passa por um processo de aprendizagem, ocorre o treinamento da atividade dos neurônios em áreas e estruturas específicas do cérebro.

NEUROFEEDBACK E AUTISMO
O Neurofeedback pode modificar os déficits principais do TEA ao aumentar a calma emocional e física e ao melhorar a capacidade de gerir o a entrada sensorial do indivíduo para o cérebro. O cérebro então está pronto para o treinamento adicional, e isso geralmente é feito em uma ordem que simula a sequência normal de desenvolvimento humano.

Por exemplo, ao treinarmos o lobo direito posterior do cérebro, reduzimos o comportamento hiperativo e aumentamos a calma corporal. Além disso a integração sensorial (melhor percepção do mundo e mais consciência social) e a consciência corporal pode ser melhorada.

Ao treinar o lobo direito frontal, podemos diminuir os ataques de fúria, as explosões emocionais e melhorar a expressão emocional (facilitando a comunicação emocional apropriada). Já que o lado direito do cérebro comanda o processo de aprendizado de novas habilidades, podemos treinar o desenvolvimento inicial do processo de aprendizado de linguagem.

Ao se treinar o lobo esquerdo anterior do cérebro é possível obter melhoras na atenção e no foco, e nos sintomas obsessivo-compulsivos e estereotipias. O TEA frequentemente está associado com o TDAH, no qual existe uma melhora de 85% dos sintomas com o Neurofeedback . Ao se trabalhar o treinamento cerebral nesses sintomas do TDAH, estudos demonstram que a interação social melhora naturalmente.

Novos estudos demonstram que com Neurofeedback , existem crianças que aumentam naturalmente na capacidade interação social e no desejo de se comunicar. Em outras o Neurofeedback tem sido um apoio ao desenvolvimento inicial no processo de aprendizado da linguagem. Estudos de follow-up (acompanhamento) demonstram que os efeitos do Neurofeedback podem ser mantidos mesmo após 11 anos do final do treinamento.

Portanto, o Neurofeedback é uma nova ferramenta terapêutica no processo de tratamento dos pacientes com TEA com grandes evidências de melhora nos principais sintomas.

Sendo a Somar a clínica pioneira e com referência no uso das melhores intervenções para o Autismo, ela está atualmente inovando mais uma vez e trazendo a técnica de Neurofeedback como mais uma intervenção para que em conjunto com as intervenções já praticadas, possamos alcançar os melhores resultados no tratamento do TEA.

Bibliografia: COBEN, Robert; PADOLSKY, Ilean. Assessment-guided neurofeedback for autistic spectrum disorder. Journal of Neurotherapy, v. 11, n. 1, p. 5-23, 2007.

KOUIJZER, Mirjam EJ et al. Long-term effects of neurofeedback treatment in autism. Research in Autism Spectrum Disorders, v. 3, n. 2, p. 496-501, 2009.

KOUIJZER, Mirjam EJ et al. Neurofeedback treatment in autism. Preliminary findings in behavioral, cognitive, and neurophysiological functioning. Research in Autism Spectrum Disorders, v. 4, n. 3, p. 386-399, 2010.

WANG, Yao et al. Relative power of specific EEG bands and their ratios during neurofeedback training in children with autism spectrum disorder. Frontiers in human neuroscience, v. 9, p. 723, 2016.

COURELLIS, Hristos S. et al. Using a Novel Approach to Assess Dynamic Cortical Connectivity Changes Following Neurofeedback Training in Children on the Autism Spectrum. In: Neurotechnology and Brain Stimulation in Pediatric Psychiatric and Neurodevelopmental Disorders. Academic Press, 2019.

Autor

Equipe Somar

Sem comentários.

Junte-se à conversa

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.